sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Quando morrer quero que seja uma morte rápida, que doa tudo de uma só vez. Que seja como um arrancar veloz de um penso rápido. Quero que se recordem de mim de sorriso de conquistadora na cara, de olhos cinzentos a brilhar e capaz de dar abraços. Quero que se lembrem das minhas gargalhadas sinceras, do quanto gosto de partilhar a minha parca sabedoria e do meu amor pelos livros. Que se riam da falta do meu jeito para fazer duas coisas "dirêitinhas" ao mesmo tempo e que acima de tudo fiquem com a certeza que eu fui a mais feliz nesta vida.

3 comentários:

  1. Prefiro nem pensar nisso, mas quero que me recordem com um sorriso.

    ResponderEliminar
  2. Bem isso é muito bonito mas muito falta dizer...

    ResponderEliminar